Notícias

Caixas eletrônicos de criptomoedas estão cada vez mais populares

Antes, ir até uma agência bancária era uma verdadeira luta. Além de pegar fila, é preciso se adequar ao horário de funcionamento do banco para ter acesso aos serviços – e isso continua até hoje. Compreendendo essa dificuldade e uma demanda diferenciada, essas instituições criaram os famosos caixas eletrônicos, que conseguem fazer muitas operações que a própria agência oferece, em horários mais flexíveis.

No caso das criptomoedas, a situação é inversa. A rede do Bitcoin, por exemplo, funciona 24 horas por dia, sete dias por semana, inclusive feriados. Então, se você quiser fazer trades no dia 24 de dezembro, meia noite, manda ver – não faça isso, vá curtir o Natal hahaha.

Mas os donos de moedas digitais queriam expandir o uso de seus ativos, principalmente para ações do cotidiano. Por isso, empresas de tecnologia começaram a investir em plataformas que oferecessem esse tipo de serviço. E o mais próximo foram os caixas eletrônicos.

Chamados de ATMs (Automatic Teller Machine), esses equipamentos ganharam um software novo e passaram a funcionar com Bitcoin, Ethereum, Monero e outras tantas criptomoedas espalhadas pelo mundo. Nesses caixas, é possível negociar os ativos, pagar contas, sacar em dinheiro fiduciário, transferir para outra pessoa, entre outras funções.

O que começou com meia dúzia de máquinas, hoje, já existem milhares de equipamentos pelo mundo, inclusive, batendo recordes no número de instalações desde sua implementação.

Segundo dados da CoinATRadar, estão disponíveis às pessoas exatos 6.004 caixas eletrônicos de moedas digitais. Desse total, 65% estão localizados nos Estados Unidos. Quase 20%, na Europa, e 2% na Ásia. O restante, está distribuído em diversas regiões.

Desde junho, cerca de mil novos caixas foram instalados no mundo. Só este mês – que ainda não acabou – 108 máquinas entraram em funcionamento, sendo 11 por dia – o maior ritmo deste ano.

A Bitstop é uma das empresas responsáveis pela elaboração desse maquinário. Segundo o cofundador e diretor de estratégia da empresa, Doug Carillo, as criptomoedas são bastante úteis a turistas. “Mais e mais pessoas preferem viajar com Bitcoin em vez de dinheiro por conveniência e segurança. O Aeroporto Internacional de Miami é o local perfeito para nossos clientes trocarem seus dólares convenientemente por Bitcoin e vice-versa quando viajam pelo país ou para exterior”, comentou.

Essa nova plataforma deve trazer novas possibilidades ao mundo das moedas digitais e mostra, principalmente, que há uma demanda crescente por sua utilização no dia a dia.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *